Os 62 estudantes paraenses que voltaram do Paraguai, neste final de semana, seguem em quarentena, no município de Tucumã. Todos estão abrigados, numa escola estadual, onde recebem total apoio da Secretaria Municipal de Saúde. Eles haviam solicitado repatriamento nas condições mais seguras possíveis, por conta da pandemia de covid-19, a doença causada pelo coronavírus sars-cov-2.

Essa é uma medida de segurança seria por 14 dias, o tempo recomendado de quarentena para esses casos, pois leva em conta o período de incubação do coronavírus. Todos os estudantes, informou o secretário de saúde de Tucumã, Raphael Antônio de Lima Sousa, estavam assintomáticos para qualquer doença. Só que os tempos exigem precaução e todos os cuidados possíveis.

“Diariamente vamos lá, conversamos com eles, fazemos exames e todos seguem bem. Estamos pensando se não deveríamos mandar eles para isolamento familiar nos próximos dias, se continuarem assintomáticos. Estamos estudando essa possibilidade, pois também é segura e eles podem ir logo pras casas deles”, comentou o secretário.

Quando passaram pela barreira sanitária de Tucumã e Ourilândia do Norte, na rodovia estadual PA-279, o ônibus no qual estavam os estudantes foi impedido de entrar, após quase 2,5 mil km de viagem.  Eles são de Ourilândia do Norte e também do próprio município. Cursavam Medicina em universidades paraguaias, na cidade de Pedro Juan Cabellero. Resolveram voltar ao Brasil, já que as aulas foram paralisadas.

Todos eles vão retornar ao Paraguai para concluir os estudos, mas somente quando as medidas de distanciamento social temporário forem aliviadas no Brasil e no país onde estudam.