“Estamos sofrendo o reflexo do coronavírus. Trabalhamos com a coletiva seletiva em Belém. E o nosso galpão está praticamente vazio”, diz o catador Jonas de Jesus Silva, coordenador da Cooperativa dos Catadores de Materiais Recicláveis (Concaves), que existe desde 2005. O galpão, para o qual esses produtos são levados, fica na avenida Bernardo Sayão, no bairro Condor. “Mas continuamos com o nosso serviço, que é essencial”, disse. A cooperativa reúne 40 catadores, que tiram, desse trabalho, o sustento dele e de suas famílias. Antes, o volume semana era de 20 a 25 toneladas de material coletado. Agora, caiu para 12 toneladas. Com isso, a renda dos catadores caiu 50%. “Antes, eles conseguiam um salário mínimo mensal”, disse. “As pessoas ficaram abaladas, com medo até de nos receber de suas casas”, contou. “Antes, ligavam, abriam as portas, convidavam a gente para tomar café. Agora, há um pânico”, contou.

Jonas disse que os catadores atuam nos bairros da Terra Firme, Nazaré, Batista Campos, Umarizal, Reduto e Cremação, Jurunas, parte do Guamá e São Brás. Em Nazaré, Reduto, Batista Campos há parceria com a Prefeitura de Belém. Em Nazaré, por exemplo, onde há parceria com a Prefeitura de Belém, é nítido o reflexo dos efeitos do novo coronavírus. “Em Nazaré, está tudo fechado. Antes, as pessoas deixavam na porta. Agora, a gente não sabe nem se tem gente na casa, se a pessoa está lá ou não”, afirmou.

Jonas entende que, no momento, os moradores estão preocupados com sua saúde e sua vida. E estão em isolamento social. Mas afirmou que é importante, principalmente nesse cenário, ser solidário, tomando, é claro, as devidas precauções. Por causa do medo de parte da população, Jonas disse que diminuíram os pedidos feitos por telefone, os agendamentos. Ou seja, as pessoas ligavam e os catadores iam até as residências recolher esses materiais. “Se alguém tiver material, ligue. Esse trabalho é essencial. E vamos continuar fazendo em prol da comunidade de Belém”, afirmou. “A coletiva seletiva é também um combate ao coronavírus, para trazer saúde e mais bem-estar para cada cidadão”, acrescentou Jonas. Ele contou que as pessoas que continuam colaborando também estão higienizando os produtos antes de entrega-los aos catadores. Jonas observou que o novo corona está reforçando a necessidade dos cuidados com a limpeza, a organização e, principalmente, com o meio ambiente.

Prefeitura entregou equipamentos de proteção individual para catadores

E, o dia 25 de março, a Prefeitura de Belém iniciou a entrega dos kits de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) aos trabalhadores das 11 cooperativas e associações de coleta seletiva que recebem apoio do município. A iniciativa visa garantir a higienização e segurança dos catadores que trabalham em contato diário com a seleção dos resíduos sólidos na cidade. A entrega dos EPI ocorreu no auditório da Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan) e contou com a presença do secretário, Claudio Mercês, e dos 30 trabalhadores beneficiados com os equipamentos. A Cooperativa dos Catadores de Materiais Recicláveis (Concaves) foi a primeira a receber os kits, que constam de capa de chuva, bota de PVC, luva, máscara de proteção e quatro garrafas de sabão líquido e dois sabonetes. “Agradecemos a prefeitura por esta iniciativa, pois vai auxiliar na prevenção ao coronavírus, já que a higiene é fundamental para diminuir os riscos de contágio”,  disse, naquela ocasião, Débora Baia, presidente da Concaves.

As cooperativas também receberão dez quilos de sabão em pó, dez litros de detergente e mais 5 vassouras. “Esses produtos vão ajudar na limpeza dos galpões, garantindo a segurança no serviço de coleta seletiva em Belém”, completou Débora. A iniciativa vai beneficiar aproximadamente 300 catadores das 11 cooperativas de coleta seletiva que a prefeitura apoia.

Além das cooperativas da capital paraense, as associações de catadores dos distritos também serão contempladas. “A Concaves é a primeira cooperativa a receber os kits de higienização, mas todas as 11 cooperativas e associações que recebem apoio da prefeitura serão beneficiadas, incluindo as localizadas em Mosqueiro”, garantiu o titular da Sesan.

“Neste momento em que o mundo enfrenta esse grave problema de pandemia, a higienização é fundamental, principalmente para pessoas que trabalham diretamente em contato com os resíduos sólidos, daí a preocupação da prefeitura com a saúde destas pessoas que prestam importante serviço ao município”, completou Mercês.  

A Prefeitura de Belém informou que a entrega dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) foi concluída e todas as 11 cooperativas que recebem apoio da prefeitura foram contempladas. A coleta seletiva na cidade prossegue, respeitando as medidas de prevenção e o uso dos EPIs. E que, por conta da pandemia, houve uma redução no volume de material coletado pelas cooperativas, já que grande parte da produção vem das repartições públicas, gráficas e escolas, que, no momento estão fechadas devido à covid-19.

SERVIÇO:

O que pode ser doado: embalagens plásticas, papel, papelão, jornal, revistas, livros.

Quem quiser ajudar, pode liga os seguintes números: 987621207 e 981166185

Fonte: O Liberal