Em Brisbane, Austrália, uma mãe filmou o filho chorando por ter sofrido bullying na escola. Yarraka Bayles usou as redes sociais para divulgar a reação do menino, de apenas 9 anos, que chegou a dizer que queria morrer.

“Me dê uma corda, eu quero me matar. Eu só quero me esfaquear no coração, quero que alguém me mate”, disse o garoto, chamado Quaden Bayles. Só no Facebook, a publicação de Yarraka teve mais de 6 milhões de vizualizações. Assista o depoimento comovente:

“Acabei de pegar meu filho na escola, testemunhei um episódio de bullying, liguei para o diretor e quero que as pessoas saibam que esse é o efeito do bullying. Eu preciso de mais conselhos, quero que as pessoas saibam o quanto isso está nos machucando como família”, disse a mulher.

 Yarraka Bayles e o filho, Quaden Bayles Foto: Reprodução

Quaden nasceu com acondroplasia, o tipo mais comum de nanismo, em que os braços e as pernas da criança são mais curtos em proporção ao comprimento do corpo. A cabeça é grande e, muitas vezes, o tronco é do tamanho normal.

Após o vídeo, o comediante estadunidense Brad Williams arrecadou mais de 200 mil dólares para levar para a Disney o pequeno australiano Quaden Bayles, que viralizou em um vídeo em que aparece falando do bullying que sofre por ter nanismo.

Brad criou uma vaquinha na web depois de se comover com as imagens em que o garoto de 9 anos aparece chorando e dizendo que quer morrer. “Criei essa vaquinha para dizer a Quaden que o bullying não será tolerado e que ele é um ser humano maravilhoso que merece alegria. Quero trazer Quaden e a mãe para os Estados Unidos, hospedá-los um ótimo hotel e levá-los para a Disney. Isso não é apenas para Quaden, é para todos que sofreram bullying em suas vidas e ouviram que não eram bons o suficiente. Vamos mostrar a Quaden e aos outros que há coisas boas no mundo e que eles são dignos delas”, escreveu o comediante, que também tem nanismo.