A cesta básica do paraense continua em alta e no mês passado chegou a R$ 500,89. Os alimentos que tiveram maiores reajustes foram óleo de soja, o arroz e a carne. A análise é o Departamento Intersindical de Economia e Estatística (Dieese/PA).

No período de março a dezembro, o preço da alimentação básica teve alta acumulada de quase 19%. Segundo o Dieese/PA, no período analisado todos os produtos da cesta sofreram reajustes e o aumento foi superior a inflação calculada para o mesmo período.

Ainda segundo o estudo, vários produtos tiveram aumentos bem maiores que o reajuste total: o óleo de cozinha (105,06%), seguido do arroz (71,78%), carne (31,92%), feijão (31,20%) e o leite (26,10%).

No mesmo período, outros produtos da cesta tiveram reajustes acumulados em percentuais superiores a inflação, como é o caso da banana com alta acumulada de 9,72%, seguida do açúcar com 7,88%; tomate com alta de 7,74%; café com alta de 7,70% e a manteiga com alta de 6,27%. A inflação calculada no período da pandemia alcançou 5,06%.