Pesquisa do Ibope divulgada no início da tarde deste sábado (21) aponta um empate técnico, quase nominal, entre Edmilson Rodrigues (PSOL) e Delegado Federal Eguchi (Patriota), os dois candidatos que disputarão, no dia 29 deste mês, o segundo turno da eleição para prefeito de Belém.

Sob encomenda da TV Liberal, a pesquisa, registrada na Justiça Eleitoral sob o número PA‐08277/2020, aponta Edmilson com 45% das intenções de votos e Eguchi, com 43%. O índice de votos em branco/nulos soma 8%. E 4% disseram que não sabem ainda em quem vão votar ou votarão nulo.

Como a margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou menos, temos Edmilson na faixa de 41% a 49% e Eguchi, podendo variar de 39% a 47%. Portanto, ambos encontram-se tecnicamente empatadados, seis dias depois das eleições do último domingo.

Realizada no período de 18 a 20 de novembro, a pesquisa ouviu 602 eleitores. O Ibope informa que o nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

Eguchi agrega mais – Se comparamos os números da pesquisa do Ibope com o resultado da pesquisa das urnas, no último domingo, chega-se à conclusão de que o candidato do Patriota está agregando muito mais votos do que seu adversário.

No primeiro turno, Edmilson Rodrigues ficou em primeiro, com 34,22% dos votos válidos, enquanto Eguchi, o segundo, obteve 23,06%. Os dois somaram, portanto, 57,28%. Os restantes 42,72% pulverizaram-se entre os outros 10 candidatos que disputaram a Prefeitura de Belém.

Do total de 42,72%, cerca de 20% foram carreados para Eguchi (que tem agora 43% pelo Ibope) e apenas 11% para Edmilson, que aparece com 45%, apenas dois pontos percentuais acima do adversário, conforme apontado na aferição do Ibope. Considerados, portanto, os votos de 42,72% que não votaram nem em Edmilson, nem em Eguchi no primeiro turno, o candidato do Patriota está agregando praticamente o dobro de preferências em relação ao psolista.

Resta saber qual será, a partir de agora, a estratégia da campanha do PSOL para controlar o crescimento de Eguchi, que continua acelerado, como se constatou na reta final da campanha para o primeiro turno.

Mas as previsões é de que, seja lá quem for o primeiro posicionado até o próximo domingo, as eleições em segundo turno em Belém devem ser uma das mais disputadas dos últimos anos.

Fonte: Blog Espaço Aberto