Em Parauapebas, sudeste do Pará, a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na sede do Partido Progressista. Ninguém foi preso.

A operação “Boitatá 2” apreendeu R$ 2.500 em dinheiro e documentos que, supostamente, seriam usados para compra de votos e transporte ilegal de eleitores. A PF também recolheu celulares.

Em nota, o Partido Progressista alegou que deu suporte para que a PF fizesse o trabalho e vai esperar os desdobramentos da operação.