A população do Amapá ainda enfrenta dificuldades no fornecimento de eletricidade. Na última segunda-feira, 9, as agências bancárias ficaram lotadas. Elas estavam fechadas desde quarta-feira da semana passada, 4.

“Está assim, sem condição de sacar dinheiro, liberar senha, cheque. A gente não está conseguindo fazer nada, gente”, lamenta Heloísa Brito, radiologista. Moradores afirmam que o rodízio de seis em seis horas não está sendo cumprido. “Chegou 18 horas, foi embora 20 horas, e retornou às 4 horas da manhã, e foi embora às 6h30 de novo”, conta Adonildon Oliveira, professor.

A água voltou a cair nas torneiras, mas ainda não chegou para todo mundo é o que dizem os moradores. “É muito ruim para gente dormir aqui, é muito calor, é muita quentura. A água é desse jeito aqui, não tem água”, diz Conceição. A Companhia de Eletricidade do Amapá declarou que está corrigindo as falhas. O comércio acumula prejuízos.

A subestação de energia que pegou fogo na semana passada depois de ser atingida por um raio funcionava com dois transformadores, quando a norma é ter um terceiro como reserva pronto para entrar em operação. O equipamento até existe, mas está esperando há quase um ano manutenção. Os centros de distribuição de água estão recebendo geradores para melhorar o fornecimento.

A Companhia de Eletricidade do Amapá, que recebe a energia da subestação e a distribui no estado, confirmou o problema no transformador. “Esse transformador estava há dez, onze meses em uma discussão com a empresa fabricante desse equipamento por causa de uma questão de garantia que a gente não sabe precisar direito, e que, portanto, não estava disponível em um momento em que deveria estar de backup a essa situação”, explica Marcos Pereira, presidente da Companhia de Eletricidade do Amapá.

Fonte: G1