Negah Ysa é rapper, poetiza afroamazônica, nascida no bairro da Pedreira, em Belém, e a artista comenta sobre o processo de inspiração para a produção da letra que baseia seu clipe: “Minha maior inspiração foi a revolta contra o racismo que eu passo todos os dias, por conta da cor da minha pele. Foi um processo de expor meus sentimentos guardados em relação a esse assunto”, diz a artista.

A cantora fala ainda sobre a seleção para o festival de cinema e a importância dessa conquista para sua carreira. “ Para mim é muito gratificante. É uma honra poder mostrar meus trabalhos e principalmente em um festival de âmbito internacional. É para mostrar que podemos ir longe, batalhando pra isso, mesmo com vários impedimentos e armadilhas, a gente consegue”, relata Negah Ysa.

No Festival em que a artista paraense se destaca, foram selecionados para a mostra de Videoclipes produções da Venezuela, Argentina, Brasil e uma coprodução com a Índia.

A diretora de Audiovisual do clipe, Camila Loie, foi a responsável pela inscrição no festival e conta da relevância de ter esse trabalho selecionado e do impacto disso na cena local de rap. “Nós fazemos cinema de forma independente e experimental, então ver essa obra participar de um Festival de Cinema que tem uma importância nacional e abrangência internacional, é muito especial, e abre uma janela importante de visibilidade e valorização, para as pessoas perceberem o trabalho de qualidade que está sendo desenvolvido no rap no Pará”, disse a diretora sobre a indicação.

Negah Ysa, que há bastante tempo acompanha a cena do Rap no Pará, explica a dimensão de ver trabalhos como este ultrapassando os limites do Norte do País. “Ser uma mulher no rap é ultrapassar várias barreiras, porque vivemos em uma cultura machista. Mas as mulheres vão invadindo esses espaços seja com o microfone na mão ou na produção musical, visual, lançando seus trabalhos. Então é importante abrir essas portas para as outras que estão vindo. A gente ainda tem muita coisa pra conquistar, esse é só o começo, e já é muito importante”, finaliza.

O videoclipe “Minha Cor Contra o Sistema” (Innsaei.tv) será exibido na próxima terça, dia 29, ficará disponível durante 24h, e no dia 30, terá um debate com a cantora Negah Ysa e a diretora Camila Loie, sobre o processo de produção.

*Com informações da assessoria

A cantora paraense Negah Ysa, que é destaque na cena do Rap regional, teve seu videoclipe Minha Cor Contra o Sistema, selecionado e vai ser exibido nesta terça-feira, 29, no 24º Florianópolis Audiovisual Mercosul (FAM), evento que promove lançamento de longas megragem, mostras de curtas, documentários, animações e clipes musicais.

Negah Ysa é rapper, poetiza afroamazônica, nascida no bairro da Pedreira, em Belém, e a artista comenta sobre o processo de inspiração para a produção da letra que baseia seu clipe: “Minha maior inspiração foi a revolta contra o racismo que eu passo todos os dias, por conta da cor da minha pele. Foi um processo de expor meus sentimentos guardados em relação a esse assunto”, diz a artista.

A cantora fala ainda sobre a seleção para o festival de cinema e a importância dessa conquista para sua carreira. “ Para mim é muito gratificante. É uma honra poder mostrar meus trabalhos e principalmente em um festival de âmbito internacional. É para mostrar que podemos ir longe, batalhando pra isso, mesmo com vários impedimentos e armadilhas, a gente consegue”, relata Negah Ysa.

No Festival em que a artista paraense se destaca, foram selecionados para a mostra de Videoclipes produções da Venezuela, Argentina, Brasil e uma coprodução com a Índia.

A diretora de Audiovisual do clipe, Camila Loie, foi a responsável pela inscrição no festival e conta da relevância de ter esse trabalho selecionado e do impacto disso na cena local de rap. “Nós fazemos cinema de forma independente e experimental, então ver essa obra participar de um Festival de Cinema que tem uma importância nacional e abrangência internacional, é muito especial, e abre uma janela importante de visibilidade e valorização, para as pessoas perceberem o trabalho de qualidade que está sendo desenvolvido no rap no Pará”, disse a diretora sobre a indicação.

Negah Ysa, que há bastante tempo acompanha a cena do Rap no Pará, explica a dimensão de ver trabalhos como este ultrapassando os limites do Norte do País. “Ser uma mulher no rap é ultrapassar várias barreiras, porque vivemos em uma cultura machista. Mas as mulheres vão invadindo esses espaços seja com o microfone na mão ou na produção musical, visual, lançando seus trabalhos. Então é importante abrir essas portas para as outras que estão vindo. A gente ainda tem muita coisa pra conquistar, esse é só o começo, e já é muito importante”, finaliza.

O videoclipe “Minha Cor Contra o Sistema” (Innsaei.tv) será exibido na próxima terça, dia 29, ficará disponível durante 24h, e no dia 30, terá um debate com a cantora Negah Ysa e a diretora Camila Loie, sobre o processo de produção.

*Com informações da assessoria