O menino de sete anos que se desequilibrou da bicicleta, caiu e riscou um carro, deixou um bilhete para o dono pedindo desculpa e informando o número de telefone do pai para ressarcimento. E disse: “Fiquei preocupado, mas o bem vai e volta”. Recado e atitude viralizaram na mídia.

Benício Esmanhoto Hoffmann, curitibano de 7 anos, afirma que nem imaginava que o seu gesto de honestidade iria repercutir tanto. O proprietário do veículo admitiu que só viu o risco na lataria por causa do bilhete do menino.

O garoto relatou as emoções, os pensamentos sobre o seu futuro como ciclista, que estaria comprometido por ter batido o guidão da bicicleta na lataria de um carro de alguém da vizinhança.

“Na hora eu pensei: vou parar de andar bicicleta e pronto, acabou minha vida de ciclista. Eu fiquei anos juntando um pouquinho [de dinheiro] e daí tudo isso ia ser despejado em uma coisinha só. Fiquei preocupado, mas o bem sempre vai e volta, vai e volta, vai e volta”, disse o menino.

Depois de riscar o carro sem querer, Benício lembra que não teve dúvida sobre o que era o certo. Nem pensou em colocar o pé no pedal e sair dali. Para ele, o mundo “ruim demais para mais pessoas fazerem o mal”.

“Para esse momento, em plena pandemia, isso tem que servir para fazer o bem. Essa sensação depois é ótima. A gente já está com pouca água, com coronavírus, tem bandidos roubando, tudo fechado, melhorar não piorar. A situação já está quase impossível. A ação do Marcelo [dono do carro] também foi boa por não ter pedido o pagamento”, disse Benício.

A solução

Marcel Weiss Hoffmann, pai de Benício, disse que o filho ficou angustiado, juntando trocados e preocupado se o conserto ia ser caro. Então começaram a pensar em um jeito de contornar a situação.

“Ficamos pensando no que fazer, não queríamos colocar no grupo da rua porque não tinha sido algo grave, ninguém tinha se machucado, né. Pegamos papel e caneta, e ele começou a escrever. Para nós foi uma história bem simples e corriqueira. No final do dia, o vizinho mandou uma mensagem falando que achou bem fofo o bilhete, mas que não precisava pagar nada”, comentou o pai.

Resposta do dono

O dono do carro, Marcelo Martins, encontrou o bilhete e ficou surpreso. Decidiu postar o pedido de desculpas nas redes sociais. A foto, de domingo (13), teve mais de 350 mil curtidas e 42 mil compartilhamentos.

Marcelo afirmou à RPC que se não fosse o bilhete, nem teria notado, pois o carro estava sujo. “A gente acha que alguém que bate no seu carro pode sair correndo, ainda mais nesta idade, mas eu achei um gesto de uma doçura, de uma honestidade grande. Eu procurei de todos os lados, meu carro estava meio sujo e nem reparei. Se não fosse o bilhete eu nem tinha notado”, disse Marcelo.

Durante o isolamento em Curitiba (PR), andar de bicicleta tem sido uma das atividades mais divertidas para Benício. O que ele pretende continuar fazendo, com mais cautela. “Foi assustador, mas passou. Agora vamos seguir a vida e tomar mais cuidado”, concluiu Benício.