O primeiro paciente do Hospital Regional de Castanhal foi encaminhado na última quinta-feira (4) pela Central de Regulação da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Oriundo do Hospital Municipal de Maracanã com sintomas graves de covid-19, ele foi transferido para internação em um dos 20 leitos de UTI.

A Unidade foi entregue na quarta-feira (03). O hospital disponibiliza 100 leitos clínicos e 20 de UTI. Até o final de junho serão instalados mais 40, totalizando 160 com estrutura para atendimento exclusivo para covid-19.O hospital dispõe de 100 leitos clínicos e 20 de UTI. Até o final de junho serão instalados mais 40.(Agência Pará)

O Regional de Castanhal começou a funcionar após passar por higienização hospitalar, com a esterilização de ambientes e equipamentos, e bloqueio de fluxos para evitar contaminações. De acordo com o diretor geral do Hospital, Paulo Kobylansky, o início do funcionamento foi marcado por alinhamentos entre a Vigilância Sanitária e a Central de Regulação para a admissão de pacientes. Pelo perfil do hospital ser de retaguarda e não de ‘porta-aberta’, as entradas devem ocorrer após análises do estado de saúde dos pacientes, sobretudo a confirmação de covid-19. 

O diretor informou que a demanda inicial é por leito de UTI. “Até o momento não recebemos solicitação de leitos clínicos. Houve um ajuste entre a Regulação Interna e a Central de Regulação e acreditamos que nas próximas horas devem aumentar o as internações. A expectativa é que os leitos sejam preenchidos em poucos dias, pois há uma demanda reprimida que estava sendo suportada pela estrutura da capital e passará a ser contingenciada nessa nova operação”, explicou Paulo Kobylansky.Legenda (Agência Pará)

Aproximadamente 250 profissionais serão divididos em turnos para cobrir o funcionamento do hospital 24 horas por dia. Entre eles está Adalgisa Ribeiro, gerente assistencial que foi responsável pela admissão do primeiro paciente, em articulação com a Central de Regulação. “A solicitação de UTI chegou por volta das 15h e no início da noite ele já estava devidamente internado, com suporte ventilatório. Como o quadro de covid-19 não permite acompanhante, em seguida o Serviço Social iniciou os trabalhos para contatar a família”, afirmou Adalgisa. 

O Regional de Castanhal, além de atender a demanda de mais de dez municípios adjacentes, também auxiliará na liberação do fluxo das unidades da região metropolitana de Belém. Após o período da pandemia, a unidade deve ser adequada para as especialidades de oncologia e traumatologia.

Antecipação – Nas últimas semanas, ampliação das equipes e jornadas de trabalho foi executada para garantir a funcionalidade do espaço, que foi entregue parcialmente. O projeto prevê a instalação de mais 40 UTI’s, que somados aos 120 entregues totalizam 160 leitos. A conclusão deve ocorrer até o final do mês de setembro. 

Iniciada no ano de 2014, a obra estava paralisada e a retomada foi prioridade da gestão atual. Durante a entrega dos leitos, Helder anunciou que o hospital terá parceria com a Universidade do Estado do Pará (Uepa), que em breve ofertará o curso de graduação em Medicina na cidade, abrindo possibilidade de assistência, bem como ensino e pesquisa na área da saúde.