A Copa do Brasil reserva jogos memoráveis para as equipes paraenses. Em mais de 30 edições o Remo é o clube paraense que chegou mais longe na competição nacional (semifinal – 1991). Mas no dia 11 de abril de 2001, o Time de Periçá eliminou o Botafogo-RJ, dentro do Maracanã, há exatos 19 anos.

O Leão Azul foi para a Cidade Maravilhosa com a vantagem do empate para seguir à terceira fase da competição, já que uma semana antes a equipe paraense derrotou os alvinegros no Baenão por 2 a 1, com dois gols de Zezinho. No Maracanão, o Remo não tomou conhecimento da equipe carioca e aumentou a vantagem logo aos cinco minutos da primeira etapa, com um golaço do meia Velber, de falta, no ângulo e sem chances ao goleiro Alex. Remo 1 a 0.

A equipe remista comandada pelo técnico Válter Ferreira foi para o intervalo tranquila. Na volta para o segundo tempo o Remo ampliou com o zagueiro-artilheiro Cametá, aos 12 minutos da etapa final, de cabeça. Leão 2 a 0.

Atrás no placar, o Botafogo se lançou ao ataque, mas esbarrava na defesa sólida azulina e também no goleiro Ivair. Mas a equipe alvinegra esboçou uma reação, com o gol do zagueiro Váldson, cobrando pênalti, aos 27 minutos, mas não foi o suficiente para diminuir a festa azulina no Maraca. Após a partida, a diretoria do Botafogo demitiu o então técnico da Estrela Solitária, Sebastião Lazaroni. Ao Remo a classificação com duas vitórias em cima do Fogão. Na terceira fase o Remo foi eliminado pela Ponte Preta-SP.

FICHA TÉCNICA

Segunda fase da Copa do Brasil

Local: Maracanã – Rio de Janeiro (RJ)

Data: 11.04.2001

Gols: Velber (Remo) 5’/1T, Cametá (Remo) 12’/1T e Váldson (Botafogo) 27/2T

Cartões amarelos: Jura e Zezinho (Remo)

BOTAFOGO: Alex; Misso, Váldson, Dênis e Valmir (Gustavo); Marcelinho Paulista, Reidner (Souza), Alexandre Gaúcho (Augusto César) e Júnior; Tailson e Daniel. Técnico: Sebatião Lazaroni

REMO: Ivair; Charles Guerreiro, Cametá, Edkleber e Souza; Márcio Belém, Chicão, Rosivaldo (Marcelo Rocha), Vélber (Jura); Joaci e Zezinho (Maracanã). Técnico: Válter Ferreira.