A Comus ainda não respondeu sobre quais são espaços públicos e quais medidas para evitar contaminação pelo Covid-19

BAIXE AQUI o guia de informações essenciais sobre o Coronavírus.

Os idosos têm sido os mais vulneráveis diante da pandemia do coronavírus (Covid-19) por conta de comorbidades que aumentam os casos de óbito nesse segmento da população. Até terça-feira (17), a pandemia atingia 161 países inclusive o Brasil, o Pará e Belém. Para buscar garantir mais segurança para os 76 idosos residentes hoje no Lar Pão de Santo Antônio, no bairro do Guamá, em Belém, a diretoria do espaço decidiu adotar diversas medidas.

As ações iniciaram nesta segunda (16) e, em princípio, se estendem até os próximos 15 dias. Mas, a direção da entidade, destaca hoje que o tempo é indeterminado e depende do comportamento nos números dos casos da doença no Brasil.

Algumas medidas no lar são a suspensão das atividades em grupo, por tempo indeterminado; a visita vale somente para familiares, em apenas em casos especiais e com agendamento; e diversas orientações de higiene para os idosos, cuidadores e funcionários.

Uma das residentes que está preocupada com a situação e concorda com a iniciativa é a idosa Izilda Pereira, 85 anos. Ela era costureira e mora no lar para idosos há 11 anos. “Fico preocupada sim. Não é nada fácil para nós, idoso, querer sair e não poder. Mas tô levando minha vida tranquila e fazendo tudo direitinho, como mandam: lavando bem as mãos, comendo bem, não indo para lugar onde tenham muitas pessoas, mas está tudo parado, né?  As regras são importantes, mas fico preocupada com as pessoas que vivem nas ruas. Minha família não está vindo me visitar, mas meu contato com eles agora é mais pelo celular. Não vou deixar de viver minha vida nem ficar triste”, disse, animada, a idosa.

Segundo a presidente do Pão de Santo Antônio, Maria Ruth Lobato, as medidas no lugar iniciaram desde começaram os casos da doença na China, país asiático onde iniciaram os casos da doença, no final de dezembro de 2019.

“Desde esse tempo, a gente começou a disponibilizar o álcool gel em todas as pias para melhorar a higiene. Agora, quando vimos intensificar os casos suspeitos e confirmados no Brasil, reunimos nosso corpo técnico multidisciplinar e elaboramos todas as normas que são seguidas. Restringimos o acesso e não permitimos aglomeração na casa. Afixamos comunicados com as normas no portão de entrada e dentro da casa. Quem entra na casa, funcionário ou familiar, tem que ir direto para o banheiro fazer a higiene e só depois adentra na casa”, afirma Maria Ruth.

Para ela, as medidas são relevantes porque no Pão de Santo Antônio há 76 idosos e alguns deles são ainda mais vulneráveis. “Na idade deles é comum casos de problema de pressão, coração. Mas todos têm assistência em saúde com médico e enfermeiras, com sala de intercorrência justamente para os que precisam de melhor atenção. Cada profissional de saúde está tomando conta de uma área da casa. Se necessário, levamos para o hospital. Hoje não temos nenhum idoso com sintomas de gripes nem problema respiratório”, explica a presidente do asilo.

Os familiares, segundo ela, foram comunicados e pede que sejam compreensivos e evitem a visita aos idosos, principalmente se estiverem com sintomas de gripe. “A gente ainda não sabe até quando essa medida vai vigorar. Vamos continuar acompanhando as orientações do governo e das autoridades sanitárias e de saúde”, afirma.

O Lar Pão de Santo Antônio tem capacidade para receber 120 idosos e hoje conta com 76, que têm idades de 60 a 100 anos. A maioria são pessoa de classe média, mas há também pessoas que eram empregadas domésticas, costureiras. O espaço existe há 90 anos, em uma área com mais de sete mil metros quadrados.

O espaço sobrevive com recebimento de aluguéis de 20 imóveis antigos e de pouco valor, que foram doados, do pagamento da mensalidade pelos associados e com o aluguel da moradia dos idosos, até 70% do salário deles.

Com isso, eles têm a garantia de moradia e alimentação, e atendimento do corpo técnico multidisciplinar e cuidadores. Mas, a presidente do espaço, frisa que o lar está de braços abertos para receber doações. “Gastamos mais de 100 fraldas por dia, então, podem nos ajudar com fraldas e luvas; alimentação, como leite, complemento alimentar, como nutren, e outros”.

Quem quiser ajudar os idosos residentes no Lar Pão de Santo Antônio e obter mais informações sobre o funcionamento do espaço, ligar para: 91 – 3249 0069. E-mail: paosantoantonio1930@gmail.com