Dois investigadores criminais da polícia de Moscou foram demitidos por cometerem o que o governo russo definiu como “um ato que difama a honra do ministério do Interior”, que concentra as forças policiais no País. Vyacheslav Gorneyev, chefe de investigação do distrito de Shchukino, e uma policial novata foram destituídos do cargo após tirar selfies com cadáveres.

Em comunicado, o ministério do Interior russo revelou ter descoberto as fotos feitas por Gorneyev e afirmou que há outros policiais ligados ao caso que também foram demitidos.

Informações do site The Moscow Times dão conta de que Gorneyev foi acusado por Dmitry Gudkov, um político que faz oposição ao governo, de “plantar” provas para incriminar o jornalista Andrei Yevgenyev, em 2016, preso sob acusação de tráfico de drogas.

Outra denúncia que também pesa sobre o departamento chefiado por Gorneyev foi feita pelo estudante Nikita Mikheyenko, que cumpre pena de 7 anos por porte de drogas. Ele acusa os policiais do distrito de Shchukino de forjarem sua prisão. 

O Comitê de Investigação da Rússia apurou o caso e não apontou irregularidades.