Um homem ainda não identificado morreu, duas famílias foram remanejadas e vários moradores enfrentaram outros transtornos em decorrência da enxurrada que atingiu alguns bairros do município de Paragominas, sudeste paraense, no último domingo (01). O desastre ocorreu por conta de uma intensa chuva que começou por volta das 19h e se estendeu até o início da madrugada, conforme informou a Defesa Civil do município.

Os bairros mais afetados foram Sidney Rosa, Sidilandia e parte do Morada Verde, na área próximo ao setor industrial. De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Paragominas, Carlos Eduardo Galvão, a chuva foi abrupta. Das 19h às 21h, foi o período de maior intensidade.

“Não havia previsão para que isso ocorresse. A estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) na nossa região registrou de 42 a 45 milímetros de chuva. Mas algumas estações particulares próximas da cidade registraram de 90 até 110 milímetros. Uma quantidade de chuva que, infelizmente, cidade nenhuma está preparada para receber”, lamentou.

Na manhã desta segunda-feira (02), por volta das 8h30, o Corpo de Bombeiros e o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves resgataram o corpo que havia desaparecido, no começo da noite do domingo, no bairro Nova Conquista. Segundo testemunhas, a vítima vinha caminhando com sinais de embriaguez e se desequilibrou próximo ao meio fio, caiu e foi arrastado pela força da água.

“O cidadão ainda sem identificação estava em um bar bebendo e saiu ébrio, segundo esses testemunhos. Por isso acabou sendo vítima da enxurrada. Mas ainda estamos aguardando o laudo da perícia criminal, porque ainda não se sabe se foi afogamento ou outras causas. E ainda não foram fazer procuração no IML”, explicou Carlos, no início da noite desta segunda-feira.

“Surgiu uma informação inicial de que ele teria caído em um bueiro, mas não confere, porque não tem bueiro nessa via, que é asfaltada com dreno de água normal. As testemunhas disseram que ele saiu do bar com a bicicleta dele, mas nem estava montado. Por força da correnteza, sendo que ele estava sem condições de administrar o corpo, acabou sento arrastado e foi parar em um tereno baldio, próximo do clube Sinsep”, detalhou o representante da Defesa Civil. 

As duas famílias que pediram ajuda diante da enxurrada foram remanejadas para casas de parentes. “O remanejamento foi apenas por questões de segurança para a casa de parentes. Disponibilizamos o meio de transporte para isso. Mas ninguém ficou em situação de desalojamento para ir para abrigo. Outras pessoas administraram a situação, subindo pertences para evitar perdas e foram encaminhadas ao setor competente”, concluiu Carlos.

Prefeitura de Paragominas

Em nota, a Prefeitura de Paragominas informou que, nos últimos anos, a cidade tem sofrido com chuvas intensas devido a mudanças climáticas e fenômenos meteorológicos. Diante dessa nova realidade, a gestão municipal realizou uma série de ações preventivas para minimizar os impactos causados neste período.

A primeira das ações foi determinar o esvaziamento de todas as barragens próximas ao município, visto o risco de rompimento e extravasamento. Houve serviços de retirada de entulho, limpeza e desobstrução de bueiros em toda a cidade. Também foi retirada parte de aterros que foram feitos de forma irregular e impediam o curso normal das águas das chuvas. 

Além disso, foram feitos serviços como desassoreamento, alargamento, aprofundamento e retificação das curvas do curso dos Rios Paragominas (em uma extensão de 2.250 metros) e Uraim (em uma extensão de 970 metros) dentro da área urbana. Também houve a delimitação e execução da limpeza de valas hidráulicas (canais urbanos por onde a água da chuva percorre) e Áreas de Preservação Permanente, para evitar a construção de casas, cercas, muros ou até mesmo a utilização do terreno para outros fins. 

“Na noite deste domingo (01), Paragominas recebeu uma forte chuva. Dados meteorológicos apontam cerca 100 mm em aproximadamente duas horas. Índice esse que era aguardado para 15 dias do mês de março. Ainda durante a chuva, equipes da prefeitura e Defesa Civil municipal percorreram toda a cidade e verificou-se que a proporção dos danos foi bem menor em comparação a mesma quantidade de chuvas dos anos de 2018 e 2019”, pontuou a nota.

“Até o presente momento, com as chuvas ocorridas no município, a avaliação técnica indica que as medidas de prevenção minimizaram os alagamentos, apresentando o bom fluxo das águas das chuvas, com boa velocidade em seu trajeto e escoamento. Mesmo com todas as ações da prefeitura é necessário que a população se conscientize em não construir suas casas de forma irregular, principalmente em terrenos à beira de rios ou na extensão do percurso das águas das chuvas. Outra medida importante é que a população jogue lixo e entulhos em locais adequados”, finalizou a nota.

Em caso de fortes chuvas, a Prefeitura de Paragominas informa o telefone (91) 99114-7545 (Defesa Civil) para o atendimento de emergências das famílias que precisarem de remanejamento ou algum tipo de auxílio.