Foi proferida na última sexta-feira (21) a primeira sentença contra o adolescente autor dos crimes que ficaram conhecidos como caso dos “Maníacos de Marituba”. Foi aplicada a medida socioeducativa de internação, conforme requerido pelo Ministério Público do Estado (MPPA), que pediu em memoriais finais o reconhecimento da responsabilização por latrocínio e ocultação de cadáver. Este processo refere-se a vítima Samara Duarte Mescouto.

Conforme apurado, as vítimas prestavam serviços de estética e eram atraídas por “supostas clientes” para um atendimento e depois eram estupradas, roubadas e espancadas. Duas vítimas faleceram devido as graves lesões sofridas. A promotora de Justiça da Infância e Juventude, Léa Rocha, informa que tramitam ainda dois outros processos contra o adolescente, que estão com a instrução encerrada e com prazo para apresentação de memoriais finais.

Um deles refere-se as duas irmãs que foram vítimas da série de crimes, sendo que uma delas (Jennyfer Martins) veio a óbito. O outro processo é de uma vítima que sobreviveu ao ataque. O adulto Jederson Alves também responde pela série de crimes e já foi denunciado pela promotora Criminal de Marituba Mônica Rocha por latrocínio, ocultação de cadáver, latrocínio tentado e corrupção de menores e ainda deve ser julgado.

Relembre o caso 

O adolescente de 17 anos cometeu uma série de estupros, roubos e dois homicídios em Marituba. Junto com ele, é acusado de participação nos crimes, Jederson Menezes Alves, de 20 anos, que está preso. O caso ficou conhecido como os “Maníacos de Marituba”. Pelo menos sete mulheres, que trabalhavam com serviço de estética e venda de produtos foram atraídas até o município, onde eram atacadas pela dupla. O adolescente se apresentava como mulher na internet e combinava de buscar as vítimas em local público, as levava para uma área de mata onde as espancava, estuprava e tentava mata-las por estrangulamento. Samara Mescouto e Jennyfer Monteiro acabaram sendo mortas nos ataques.

Fonte: DOL