A greve dos servidores do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran-PA), completa 23 dias nesta quinta-feira, 13, e os impactos no serviço de atendimento estão gerando transtornos a população.Quem procura a sede do órgão, na rodovia Augusto Montenegro, afim de ser atendido, precisa enfrentar uma enorme fila e para garantir o atendimento, muitos até passam a madrugada do lado de fora, isso porque para os serviços mais procurados, apenas 90 atendimentos são realizados diariamente. “Cheguei às 4h, e ainda estou aguardando. Fiquei com o número 82 para atendimento de vistoria, mas muitos que chegam depois não conseguem. A situação está difícil”, disse Ester Sales, uma das pessoas que aguardavam atendimento do lado de fora. Segundo um funcionário do Detran, a redução no número de atendimentos diários foi necessária para não sobrecarregar os serviços,  esses mantidos por parte dos poucos servidores que não aderiram a greve. Ainda de acordo com o funcionário, apenas os serviços de vistoria e emplacamento seguem a dinâmica de atendimento reduzido, e ainda sim o transtorno é grande. Assista! 

Greve por tempo indeterminado A greve iniciou no dia 20 de janeiro, e segue até que uma resposta do Governo do Estado seja dada a categoria. Na última terça-feira, 11, uma reunião entre representantes do Sindicato dos Trabalhadores de Trânsito do Estado do Pará (Sinditran) e o governador do estado, Helder Barbalho, ocorreu na sede da Assembléia Legislativa do Pará (Alepa).Na reunião, servidores pediram a saída do diretor geral do Detran Marcelo Guedes, entregando ao governador uma Ação Pública, que seria levada para votação na Alepa. Mas de acordo com os servidores, isso não aconteceu. Uma passeada dos grevistas está marcada para manhã desta quinta-feira, 13, até a Casa Civil. 

Fonte: Roma News