Uma motorista de transporte por aplicativo está desaparecida desde a noite da sexta-feira, 7, quando saiu para trabalhar na função e não contatou mais a sua família e amigos, desde às 17h em Parauapebas. Enne Jansen Teles de Carvalho, de 32 anos, é residente do Bairro Guanabara e atua na plataforma Uber.

O pai de Enne, Antônio Marques, esteve neste sábado, 8, por volta do meio dia na 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas, para relatar o desaparecimento de sua filha. “Os policiais estiveram mais cedo em minha casa, mas informaram que precisavam esperar completar 24h. Porém, ela saiu de casa ontem ao meio dia, então por isso já decidimos comparecer aqui (na delegacia) para registrarmos a ocorrência e tentar um rastreamento do celular dela”, conta Antônio.

Na delegacia, um dos colegas de profissão, Rafael Gomes, que é motorista de aplicativo está à frente das buscas juntamente com motoristas da plataforma, para encontrar Enne Jansen. Relata que a última vez que ela deu algum sinal foi pelo período da tarde. “O último contato que ela fez, foi às 17h30, quando realizou uma corrida para levar alguns alunos na casa de um rapaz. Nós conseguimos falar com ele, que confirmou que Enne realmente havia feito a corrida e levado os alunos até lá. Após isso, fizemos uma solicitação ao Centro de Controle Operacional (CCO), que buscou a placa do carro de Enne, localizando-o saindo em direção a Canaã, mas 2h depois, retornando para Parauapebas”, relata Rafael.

O motorista diz ainda que não é possível confirmar se Enne estava no carro ou não, mas acreditam que isso tenha sido apenas um imprevisto e ela esteja bem. “O que me deixa aflito são as informações erradas, pois vários outros motoristas de aplicativo que a conhecem, e sabem a placa do carro dela de cabeça, estão fazendo buscas pela cidade para tentar encontrar o veículo. Mas muitas pessoas estão repassando pelas redes sociais que ela já foi encontrada, o que não é verdade, as buscas continuam”, explica Rafael.

Para o pai de Enne Jansen, que está recém operado de uma cirurgia feita na cabeça, comenta que a única vontade que surge nesse momento é de poder encontrar sua filha. “Não desejo que ninguém que tenha filhos passe por isso um dia. Eu só quero poder abraçar minha filha nesse momento e saber que está tudo bem”, diz Antônio emocionado.

Fonte: Correio de Carajás