Todo cuidado é pouco com o coronavírus. Por isso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) orienta os operadores de portos, aeroportos, terminais rodoviários e hidroviários no País, bem como passageiros, a adotarem medidas preventivas ao contágio do vírus entre passageiros e tripulações. O Pará registra 32 terminais de uso privado (portos) para cargas em 11 municípios. No País, são 250 terminais do tipo. Diante desses números, na sexta-feira (31), representantes da Associação de Terminais Portuários Privados (ATP) e técnicos da Anvisa reuniram-se em Brasília (DF), para tratar da atual situação do novo coronavírus no Brasil, abordando riscos e recomendações da Agência para o setor.

Os portos privados funcionam nos municípios de Itaituba, Almeirim, Barcarena, Oriximiná, Belém, Santarém, Juruti, Tailândia, Acará, Ananindeua e Vitória do Xingu.

No encontro promovido pela Comissão Nacional de Autoridades dos Portos (Conaportos), coordenada pela Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura, a coordenadora de Infraestrutura e Meios de Transporte em Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados da Anvisa, Viviane Vilela, apresentou o cenário atual do vírus no País e trouxe recomendações para atuação dos portos brasileiros.

Como disse Viviane, caso exista suspeita do vírus em algum tripulante de embarcação, o comandante deve reportar imediatamente à Anvisa. O tripulante deve ficar isolado em um camarote ou local privativo e utilizar máscara.

Outras recomendações para os terminais são: veicular informes sonoros da Anvisa sobre o vírus nos portos; intensificar limpeza, desinfecção e reforçar a utilização de equipamentos de proteção individual; além de manter as equipes em alerta nos postos médicos.

O diretor-presidente da ATP, Murillo Barbosa, destacou que os portos privados estão atentos ao monitoramento da epidemia do novo vírus e às medidas adotadas pelo Governo. “Os portos privados estão cientes da gravidade da situação e possuem planos de contingência para informar as autoridades sobre possíveis casos do novo Coronavírus em tripulações de navios que fazem escala no Brasil”, afirmou.

As orientações da Anvisa são válidas para terminais públicos também.

Aeroportos

A partir do seu site, a Infraero, empresa que administra os aeroportos no Brasil, informa que está em contato permanente com a Anvisa e demais órgãos nas esferas federal, estaduais e municipais, para o alinhamento na adoção de práticas de prevenção à transmissão do coronavírus.

“Assim, a utilização de máscaras e outros equipamentos configuram uma dessas medidas de proteção a funcionários que trabalham nos aeroportos diretamente com fluxo migratório, bem como passageiros que venham de outros países. Além disso, os aeroportos da Infraero estão veiculando, desde o dia 24 de janeiro, o aviso sonoro da Anvisa sobre o conoravírus. A mensagem, de um minuto e em quatro idiomas, alerta sobre os sintomas da doença e informa sobre medidas para evitar a transmissão da virose”, comunica a Infraero.

Informações detalhadas para tripulações e passageiros em meio de transporte e terminais no País podem ser acessadas no site da Anvisa: http://portal.anvisa.gov.br/coronavirus