No dia do seu aniversário de 115 anos, o Clube do Remo foi homenageado pelos deputados estaduais, que destacaram, em seus pronunciamentos, a importância do time para o esporte paraense, receberam dirigentes e torcedores azulinos e cantaram parabéns ao clube. Na ocasião, foi apresentado também o projeto de Lei que institui, no calendário Oficial do Estado, o Dia Estadual do Remismo, a ser celebrado sempre no dia 05 de fevereiro, data de fundação do Remo.

A proposta é da deputada Marinor Brito e considera remismo “o amor que move a enorme nação de torcedores em torno do Clube do Remo”. Segundo a autora, é uma homenagem ao amor pelo futebol, “por essa paixão existente na população paraense, pelo clubismo. (o Remo) Tem uma existência importante na valorização de muitas questões históricas na área de esporte e cultura. É um patrimônio tombado, através de uma lei, tanto do ponto de vista material, dos seus prédios, a nossa sede náutica, antiga, como o Baenão, a própria sede social, mas também o tombamento deste patrimônio imaterial, a cultura do futebol é forte no Brasil”, ressalta. “Esse amor pelo futebol, a gente queria transformar muito em geração de renda e emprego para o povo, como outros países do mundo fazem”, completou.

Remistas compareceram à Alepa para prestigiar essa proposta e conversar com os deputados. “Fomos muito bem recebidos pela plenária e eu acredito que não vai ter dificuldade em instituir esse dia”, declarou o presidente do clube, Fabio Bentes. “É difícil explicar o amor que o torcedor sente pelo Remo. Quem é remista sabe, então é algo muita alegria, porque a gente entende que a partir daí se institucionaliza oficialmente no estado esse como um dia para comemorar esse sentimento. Assim como a gente comemora o Dia dos Pais, Dia das Mães, Dia das Crianças, a gente vai comemorar o dia da alegria de ser remista”, completou.

Segundo ele, há outras demandas do clube junto ao parlamento estadual. Uma delas, é a aprovação de emendas que garantem recursos para equipar o Núcleo Azulino de Saúde e Performance, que visa atender os atletas da base, futebol feminino e profissional. O valor necessário para comprar dos equipamentos chega a R$ 300 mil. “É um centro de preparação e recuperação de atletas. Ele já existe, mas a gente quer equipar com equipamentos mais modernos e isso está tramitando aqui na casa”.