Artistas e artesãos que vieram dos municípios de Juruti, no oeste do Pará, e Parintins, no interior do estado do Amazonas para ajudar a construir o carnaval da Escola de Samba da Matinha foram vítimas de um assalto ocorrido na madrugada desta terça-feira (4), dentro do ateliê onde estão hospedados desde o dia 10 de janeiro deste ano.
De acordo com o presidente da Matinha, Rodolfo Trindade, era por volta de 3h da madrugada quando três criminosos armados invadiram a residência na qual os artistas estão instalados, situada na travessa Antônio Baena, às proximidades da travessa 14 de Abril, no bairro de Fátima, e fizeram os artesãos reféns.

As vítimas tiveram celulares, dinheiro, documentos, mochilas e outros pertences pessoais levados pelos assaltantes. As peças e adereços da Escola, que também estão no ateliê, no entanto, não foram roubadas pelos criminosos. “Graças a Deus não levaram nada da Escola, porque acho que não interessa para eles, não tem para quem vender e chama muita atenção. Mas do pessoal que está aqui nos ajudando a erguer o carnaval deste ano levaram tudo, celular, dinheiro, roupa, mochila, documentos”, denunciou o presidente da Matinha.

As vítimas foram registrar boletim de ocorrência na Seccional Urbana de São Brás na manhã desta terça-feira. A Diretoria Executiva da Matinha repudiou a ocorrência e afirmou que vai cobrar das autoridades policiais resolução do caso. “A Diretoria Executiva da Escola de Samba da Matinha vem junto a sua comunidade repudiar veemente que nesta madrugada meliantes adentraram a residência em que estão alojados nossos Artistas/Artesãos que vieram de Juruti/Parintins, que vieram para a construção do nosso Carnaval 2020. Os mesmos foram rendidos e tomados por assalto. Os bandidos levaram alguns pertences dos mesmos, entre aparelhos de celular e documentos. Lamentamos profundamente o fato e tomaremos as medidas cabíveis e necessárias junto as autoridades competentes”.