A morte de membros de uma família em São Bernardo do Campo (SP), segundo investigações, tem elementos brutais. Segundo nova linha, a empresária Flaviana Gonçalves, de 40 anos, foi obrigada a dirigir o carro com o marido e o filho já mortos o interior do veículo. Em seguida, a própria empresária foi morta, segundo a polícia e os corpos foram queimados. Flaviana, o marido e filho do casal foram encontrados mortos dentro de um carro carbonizado na terça-feira (28).

Estão presas, suspeitas do triplo homicídio a filha do casal, Ana Flávia Menezes Gonçalves, de 24 anos, e a namorada dela, Carina Ramos, de 26. Elas estão detidas desde quarta-feira (29), mas ainda há um terceiro suspeito sendo investigado.

O delegado seccional de São Bernardo do Campo, Ronaldo Tossunian afirma que o comerciante Romoyuki Gonçalves, 43 anos, e o filho, Juan Gonçalves, de 15, foram colocados mortos no veículo dirigido pela mulher.

Laudo pericial aponta que as vítimas foram mortas com pancadas no lado direito da cabeça. Pai e filho teriam sido executados dentro da casa, no condomínio Morada Verde, em Santo André. A mãe, por outro lado, foi morta em outro momento, mas da mesma forma. A polícia sustenta essa versão pelo fato de que o porteiro do condomínio disse em depoimento ter visto a empresária dirigindo o carro da família, às 22h36 de segunda-feira (27). O Fiat Palio de Ana Flávia passou antes pela portaria.

As imagens mostram ainda que o carro da suspeita entrou e saiu do condomínio três vezes, entre 18h16 e 22h12 de segunda-feira (27). Nesse intervalo de tempo, outro vídeo mostra Carina, a namorada, entrando a pé no local, encoberta por um capuz. Segundo a polícia, Flaviana deve ter sido rendida e obrigada a dirigir o carro com os corpos do filho e marido.

Fonte: IstoÉ