No próximo dia 5 de fevereiro, o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), deverá lançar o Edital do Concurso Público Nacional de Estudo Preliminar de Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo do Parque da Cidade. Nessa segunda fase do projeto, arquitetos e escritórios de arquitetura e urbanismo poderão inscrever propostas para avaliação e seleção, subsidiados pelas sugestões recebidas durante a consulta pública que termina nesta sexta-feira (31), pelo site parquecidade.com

O parque vai ser construído onde na área onde fica o Aeroporto Brigadeiro Protásio, local que as pessoas conhecem como “AeroClube”.O Parque da Cidade – que tem uma área equivalente a 120 campos de futebol – estará localizado no bairro do Souza, fazendo limite com quatro outros bairros: Marco, Pedreira, Sacramenta e Marambaia. O aeroporto será remanejado.

Por se tratar de um certame, essa fase será conduzida pela Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp). As proposições deverão conter, obrigatoriamente, as sugestões mais votadas durante a consulta pública dentro dos eixos cultura, esporte e lazer, meio ambiente e paisagismo. O resultado dessa fase será conhecido durante a Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes 2020, em maio, quando serão submetidas à votação popular as duas opções escolhidas por uma comissão técnica.

A iniciativa de colocar a população como partícipe da construção do projeto é inédita no Pará. “Tivemos um grande debate com a Fadesp, porque esse modelo de consulta não costuma ser aplicado nesse tipo de concurso. Mas, por determinação do governador (Helder Barbalho), essa é uma participação tida como fundamental em todas as etapas”, disse o secretário adjunto de Cultura, Bruno Chagas. Diretor de Patrimônio da Secult,

Segundo Bruno Chagas, a participação popular até o momento é considerada razoável. Os nove equipamentos mais votados por meio da consulta pública deverão fazer parte das propostas apresentadas ao edital – o que não significa que os arquitetos e escritórios não poderão propor outros equipamentos para ampliar as possibilidades de utilização do espaço.

“Fui a uma entrevista em que falaram na possibilidade de ali haver um ‘carimbódromo’. E por que não? Nosso objetivo é ter essa afinação e sensibilidade entre as sugestões recebidas via participação popular, que é o subsídio, e a liberdade criativa dos profissionais”, acrescentou.

A expectativa é que os dois projetos definidos pelo edital para serem submetidos à votação popular fiquem expostos, em maquetes eletrônicas, durante o período da Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes. Pelo site parquecidade.com e pelo aplicativo também será possível conferir detalhes das propostas apresentadas.

A Secult ainda definirá se a votação entre os dois será presencial ou on-line. A Secretaria pretende que o início das obras seja definido ainda este ano. “A partir dessa escolha, conseguiremos obter um planejamento e previsão de datas para a licitação do projeto escolhido, o que também depende do andamento das negociações entre o Governo do Estado e o Governo Federal em relação à cessão do espaço, que segue funcionando como aeroclube”, informou o secretário adjunto.