Dezenas de amigos lamentaram, no final da noite de quarta-feira (22) e na madrugada de quinta-feira (23), nas redes sociais, o falecimento de Jennyfer Karem da Silva Monteiro, de 20 anos, uma das vítimas do adolescente que ficou conhecido como “maníaco de Marituba”, apreendido por estuprar e matar jovens mulheres no município da Região Metropolitana de Belém.

Polêmica sobre a morte

Na tarde de terça-feira (21), uma prima da vítima havia cofirmado o óbito da moça em uma postagem nas mídias sociais, o que acabou sendo reproduzido por veículos de imprensa, inclusive o portal Silvinho Santos News Entretanto, voltou atrás na afirmação e disse que havia acontecido um equívoco, que Jennyfer estava viva.

Para esclarecer as informações desencontradas, o HMUE emitiu nota à imprensa, no início da noite, informando que Jennyfer Monteiro seguia internada, sem dar detalhes, o que levava a crer que estava viva, desmentindo a informação sobre o seu falecimento. 

Vítima do “maníaco de Marituba”

Jennyfer Karem da Silva Monteiro desapareceu na tarde de sábado (11), após ser contratada para realizar um serviço de estética na casa de uma suposta cliente, em Marituba.

A jovem foi abordada por um adolescente em uma bibicleta, que se identificou com marido da cliente e disse que a levaria até a residência. Jennyfer estava acompanha da irmã, que ficou para trás e desconficou da demora para o adolescente voltar para buscá-la.

Horas mais tarde, Jennyfer foi encontrada desacordada, com sinais de estupro e espancamento, sendo socorrida e internada no HMUE desde então.