A estudante Rebecca Campos Ferreira, de 18 anos, fez tudo certo no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Respeitou as regras, preencheu tudo. Mas a surpresa veio ao tentar consultar a nota e ver que havia sido eliminada.  

O incidente ocorreu no segundo dia de aplicação das provas, em 10 de novembro de 2019, nos exames de Ciências da Natureza e de Matemática.

A estudante conta que estava na sala 11 do campus Nova Friburgo, da Universidade Federal Fluminense (UFF), quando ouviu um celular tocar. A coincidência é que a dona do aparelho se chama Rebeca, e teria sido levada pelos fiscais. A Rebeca do telefone teve que assinar papéis confirmando a desqualificação.

O problema é que foi a outra rebeca que sofreu as consequências. E Rebecca Campos descobriu isso no dia 17 de janeiro, quando as notas foram divulgadas. De acordo com o site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pelo Enem, um toque de celular havia motivado a desqualificação. “Se o aparelho eletrônico, ainda que dentro do envelope porta-objetos, emitir qualquer tipo de som, como toque ou alarme, o participante será eliminado do exame”, dizia a advertência.

Rebecca afirma ter enviado mais cem e-mails ao Inep, pedindo a restituição de sua nota. Também tentou por telefone. Com o Sistema de Seleção Unificado (Sisu), na porta, era hora de mudar de estratégia. Então Rebecca foi ao Twitter fazer barulho.

“O Sisu começa amanhã e estou desesperada desde o dia 17, por favor me ajudem”, pediu ela no tuíte.

Em menos de 24 horas, a postagem dela teve mais de 30 mil compartilhamentos e quase 80 mil curtidas. Rebecca então publicou um vídeo no Instagram, explicando o seu caso. Nova comoção. Inclusive a União Nacional dos Estudantes (UNE ) chegou a compartilhar o vídeo, pedindo esclarecimentos do Inep. “A repercussão foi muito grande. Nossa, fiquei muito feliz. Estou sem palavras até agora”, contou.

Na manhã da terça-feira (21), a estudante recebeu uma resposta do Inep. Por telefone, informaram que sua nota seria revista. O Inep depois disse que o caso estava resolvido, com o final feliz para a estudante.

Rebecca, que é moradora de Nova Friburgo (RJ), sonha cursar Jornalismo na UFF, no campus Niterói. Bem, ela mostrou que sabe contar uma história.