Servidores do Departamento Estadual de Trânsito do Pará (Detran-PA) cruzam os braços, a partir desta segunda-feira (20), com o início da greve aprovada pela categoria, em assembleia geral realizada na última quarta-feira (15). Eles reivindicam reposição inflacionária de 4,31% referente à data base de abril de 2019; reajuste da gratificação de trânsito, mediante reposição inflacionária referente à data base de abril do ano passado, também no índice de 4,31%; revogação da portaria de terceirização do serviço de vistoria veicular; revisão do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) dos servidores do Detran e avaliação periódica de desempenho dos trabalhadores de trânsito da autarquia; e concurso público regionalizado para preencher 830 cargos vagos existentes no órgão.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores de Trânsito do Estado do Pará (Sindtran/PA), a maior parte dos serviços será suspensa, incluindo atendimento de Veículos e de CNH (Habilitação), exames teóricos e práticos, vistoria veicular, fiscalização e educação para o trânsito, entre outros. A entidade alega que foi ignorada nas tentativas de ser recebida pelo diretor-geral do Detran, Marcelo Guedes.

Uma mobilização está programada para às 9h de hoje, em frente ao prédio-sede do órgão, na Avenida Augusto Montenegro, e no edifício do Detran situado na Rua Antônio Barreto próximo à Avenida Doca de Souza Franco.

Ainda de acordo com o Sindtran, o governo não negociou a data-base de 2019 dos servidores do órgão e o reajuste da Gratificação de Trânsito. O Sindtran argumenta também que a autarquia iniciou os procedimentos para terceirizar o serviço de vistoria veicular do órgão, mas a entidade ajuizou ação civil pública a fim de suspender os procedimentos de terceirização na última terça-feira (14).  Para o Sindicato, a terceirização da vistoria veicular implica na renúncia milionária de receita pública, além de usurpar o poder de polícia administrativo da autarquia de trânsito e as atribuições legais de vistoriadores concursados desde o ano de 2009, no Detran.