O ex-líder boliviano Evo Morales anunciou no domingo, da Argentina, os candidatos do seu partido socialista para a eleição da Bolívia em 3 de maio, que servirá como uma repetição da disputa de outubro e será a primeira em cerca de duas décadas sem ele.

Em uma entrevista coletiva em Buenos Aires, Morales nomeou seu ex-ministro da Economia Luis Arce Catacora como candidato presidencial do Movimento ao Socialismo (MAS), com o ex-ministro das Relações Exteriores David Choquehuanca como seu companheiro de chapa.

Morales revelou os nomes depois de se reunir no final de semana com autoridades do MAS que viajaram para a capital argentina, onde Morales vive depois de aceitar uma oferta de asilo. Ele está impedido de concorrer à Presidência novamente.

Os nomes diferiram de uma chapa anunciada na sexta-feira por autoridades do MAS em La Paz, que tinha Choquehuanca como candidato à Presidência do partido.

Na ocasião, uma autoridade do partido disse que a chapa – incluindo o discípulo de Morales e o plantador de coca Andronico Rodríguez como candidato a vice-presidente – era resultado de consenso do partido.

Mais tarde na sexta-feira, Morales escreveu no Twitter que a dupla era apenas “pré-candidata”, juntamente com dois de seus aliados próximos: Catacora e outro ex-ministro das Relações Exteriores, Diego Pary Rodríguez.

“Logo retornaremos à Bolívia para participar dessa luta de campanha”, disse Morales na entrevista coletiva.

“Quero dizer a todos que tenho um projeto político de libertação, não apenas para os bolivianos, mas para o mundo inteiro … que outro mundo sem capitalismo é possível.”