A unidade da Saraiva do Barra Shopping terá que deixar o local em 15 dias. Esta foi a sentença do juiz Marco de Souza, da 4ª Vara Cível do Rio de Janeiro, que deferiu a ação de despejo da filial da Saraiva, rescindiu o contrato de locação concedendo 15 dias para que o espaço seja desocupado. De acordo com informações divulgadas pelo colunista Lauro Jardim do jornal O Globo, a livraria tem R$ 605 mil de aluguéis atrasados, correspondente a 2018.

O assunto é um dos mais comentados nas redes sociais. O influenciador digital e youtuber Felipe Neto comentou que a culpa pela Saraiva estar nesta situação não é do povo brasileiro, mas da própria gestão, já que a rede sempre foi líder de vendas nas lojas físicas e na internet. 

A possível falência da Saraiva é um tópico mto interessante de se dialogar.

É uma empresa privada. Contudo, é responsável por milhares de empregos e a principal fonte de renda de diversas editoras brasileiras.

O mercado editorial inteiro pode entrar em colapso com sua falência.

Atualmente, a Saraiva está em recuperação judicial, porém a dívida é anterior ao processor de recuperação. A Saraiva é a maior rede de livrarias do Brasil e há algum tempo se arrasta por uma crise econômica severa. Na última segunda-feira, dia 13, a Saraiva teve empossado o novo presidente Luís Mario Bilenky. Ele será presidente não estatutário e entrou no lugar de Jorge Saraiva Neto, da família. Bilenky presidiu a Blockbuster e a Fototica, além de exercer a posição de diretor de marketing do McDonald’s. Ele também foi diretor executivo do laboratório de diagnósticos Fleury e presidente do Hospital Infantil Sabará.

A situação da empresa é preocupante. No último relatório mensal de atividades, referente ao mês de novembro, o administrador judicial da Saraiva informou que 30 das 73 lojas sofrem ações de despejo na Justiça. Nove tiveram o andamento suspenso e uma está em fase de negociação.