Arrastões culturais deram o pontapé inicial para o carnaval que já se avizinha após a virada do ano. Brincantes e simpatizantes das escolas de samba Rancho Não Posso Me Amofiná, Quem São Eles e Piratas da Batucada ganharam as ruas da capital neste primeiro dia de 2020 contagiando moradores dos bairros do Jurunas, Umarizal e Pedreira. A chuva que caiu por boa parte do dia sobre a cidade fez companhia para quem decidiu aproveitar a folia ao som das baterias carnavalescas, animadas por alguns ícones clássicos dessa grande festa popular, como os destaques, as rainhas de bateria e as baianas.

Foto: Cláudio Pinheiro
Foto: Cláudio Pinheiro

No Jurunas, o Rancho levou para as ruas do bairro 100, dos 220 ritmistas da escola, comandados por mestre Cacá, auxiliado por Batata, Lucas, Murilo e Nilson. O arrastão saiu às 15h30 da sede levando à frente da bateria a rainha trans Ticianny Meirelles e a madrinha Valena “Furacão” Rejane. “É muito bom entrar o ano sambando, no ritmo do Carnaval”, afirmou Ticcianny. A agremiação, bicampeã do Carnaval de Belém, levará para a Aldeia Amazônica este ano um samba-enredo sobre o município de Abaetetuba.

Entre os brincantes, muita gente optou pela boa e infalível fantasia. E o que não faltou foi criatividade na escolha dos temas, que foram de “Predador do Paysandu” a gorila. “Estou feliz de estar aqui, no arrastão do Rancho, entrando em 2020 na maior animação, junto com a minha família”, comemorou o taxista Cisiclei Maciel, 45 anos, que era pura corujice ao mostrar o filho de seis anos dando os primeiros passos no samba. Na chegada do arrastão à sede do Rancho, teve roda de samba com a participação de quase duas mil pessoas.

O presidente do Rancho, Jackson Santarém, destacou que “há 80 anos a agremiação promove esse trabalho no dia 1º de janeiro, como forma de dar uma satisfação para a comunidade e para a própria sociedade, já que muita gente é convidada e, a cada ano, o público só aumenta. “Isso aí já é a arrancada para o Carnaval”, declarou. A escola desfilará com 2.200 brincantes, dez alas, 220 ritmistas e três carros alegóricos e um tripé.

Sob a chuva

Já no bairro do Umarizal, a folia foi garantida pela bateria e destaques do Império do Samba Quem São Eles. A escola saiu em arrastão da Praça Eneida de Moraes, na esquina da avenida Pedro Miranda com a Alcindo Cacela, e seguiu em direção à sede, na travessa Almirante Wandenkolk.

“Eu desfilo na escola há dez anos, e estamos aqui preparadas para o Carnaval”, contou Rosa Silva, 50 anos, comerciária, integrante da ala das baianas. Ela veio na frente do arrastão, que reuniu centenas mesmo sob a chuva forte que caiu no começo da noite desta quarta-feira.

O Quem São Eles levará para a avenida o enredo “Paes de Carvalho – A Beleza de ser um Aprendiz”, que celebra o centenário do colégio estadual de Belém. Uma bandeira da instituição de ensino circulou entre os brincantes no arrastão. Fábio Oliveira, diretor da escola de samba, informou que a agremiação deverá desfilar com 1.500 brincantes na Aldeia Amazônica.