REPRODUÇÃO

Desde a chegada do corpo de Gugu Liberato à Assembleia Legislativa de São Paulo para o velório, na manhã desta quinta-feira (28), todas as emissoras de TV aberta se desdobraram para inserir notícias ao vivo em sua programação. Todas menos o SBT. A emissora de Silvio Santos, casa de Gugu por mais de 30 anos, apenas mencionou o assunto em seu telejornal matinal, o “Primeiro Impacto”, mas desde as 10h30 exibe sua programação normal, sem mencionar a despedida ao apresentador.

O maior destaque fica por conta da Record, emissora com quem Gugu tinha contrato. Ao vivo desde a manhã, a emissora já mudou os apresentadores e derrubou a grade, mas não troca o assunto. A cobertura sem interrupção já foi comandada por Celso Zucatelli, César Filho, Geraldo Luis e Luiz Bacci.

A Globo também tem feio uma cobertura extensa, desde a notícia do acidente de Gugu, na semana passada. O velório foi tema de todos os programas da emissora hoje, dos jornalísticos aos de variedades. A emissora exibiu vários depoimentos de amigos e conhecidos de Gugu, como Liminha, Eliana e Mara Maravilha,  no “Se Joga”.

A Band também está com equipes de jornalismo na Assembleia, com cobertura ao vivo no seu programa vespertino de fofocas e depois no “Brasil Urgente”, com José Luiz Datena.

A RedeTV! perdeu parte dos acontecimentos, por ter a grade vendida entre 13h e 15h a programas religiosos, mas usa o velório como tema do “A Tarde É Sua”. Até mesmo a Gazeta, sem maiores recursos, noticiou o velório durante o “Mulheres” e também nos programas matinais.

O SBT sequer mexeu na grade. Nem o “Fofocalizando” citou a despedida ao apresentador.

Outros casos, outro tratamento

Em 2012, o SBT fez uma extensa cobertura do velório de Hebe Camargo. A transmissão fez a emissora chegar a empatar com a Globo no Ibope.

Dois anos depois, foram batidos recordes de audiência pela emissora de Silvio Santos com a cobertura do velório de Roberto Bolaños, o criador e intérprete de Chaves.