REPRODUÇÃO
O STF (Supremo Tribunal Federal) retoma na tarde desta quinta-feira (7) a discussão sobre em que momento os réus do país podem ser presos. Com o placar de 4 a 3 a favor da autorização do cumprimento da pena logo após condenação em segunda instância, a tendência é que o resultado vire com os útimos quatro votos do plenário.A tese a favor da manutenção da regra atual, que permite a prisão após a segunda instância, deve ser defendida ainda pelo decano do STF, Celso de Mello. Mas outros três ministros tendem a se posicionar para que só ocorra a perda da liberdade depois do trânsito em julgado: Gilmar Mendes, Cármem Lúcia e Dias Toffoli.