Veículo foi destroçado em ataque KENNETH MILLER/LAFE LANGFORD JR/via REUTERS
Pelo menos nove pessoas — incluindo seis crianças — que moravam em uma comunidade religiosa de cidadãos americanos no norte do México morreram nesta segunda-feira (4) durante um ataque a tiros promovido por um cartel do narcotráfico na região. O número de vítimas ainda pode ser revisado. As informações são da rede de notícias americana Fox News.Acredita-se que os criminosos tenham confundido as vítimas — integrantes de uma mesma família que vivia em um povoado chamado La Mora, no estado de Sonora — com membros de um cartel rival.

Parentes afirmam que os criminosos sequestraram sobreviventes após o tiroteio inicial, que aconteceu em um trecho entre os estados de Sonora e Chihuahua.

De acordo com o jornal mexicano Excelsior, grupos criminosos disputam o controle da área há semanas. Existe ainda a possibilidade de que a família fosse, de fato, um alvo do crime organizado, já que, dez anos atrás, dois de seus membros foram sequestrados e mortos por denunciar traficantes.

Caravana ia aos Estados Unidos

Em entrevista ao Excelsior, um membro da comunidade mórmon LeBarón afirmou que as vítimas estavam em uma caravana de três caminhonetes que se dirigia a Tucson, no estado norte-americano do Arizona. Dezesseis pessoas faziam parte da expedição, no total — algumas, incluindo um adolescente de 14 anos, conseguiram fugir.

‘Atrozes, desumanos e bárbaros’

No Facebook, outro dos parentes — identificado como Lafe Langford Jr. — postou um vídeo que mostra um veículo SUV incendiado e atingido por balas. “Precisamos que isso seja compartilhado e que o mundo inteiro testemunhe os atos atrozes, desumanos e bárbaros que foram cometidos contra nós hoje”, diz o post.

Langford Jr. completa que a comunidade mórmon LeBarón atua entre o México e os Estados Unidos e está “sob ataque” enquanto prega pelos cartéis mexicanos.

Governos se manifestam

Os governos dos estados de Chihuahua e Sonora, que fazem fronteira com os Estados Unidos, divulgaram uma breve declaração conjunta dizendo que uma investigação sobre o incidente foi iniciada e que algumas pessoas foram dadas como mortas e outras desaparecidas.

No Twitter, a governadora de Sonora, Claudia Pavlovich Arellano, declarou que sua administração está determinada a encontrar os responsáveis pelo crime.

“Como mãe sinto coragem, repúdio e profunda dor pelos atos covardes na serra entre Sonora e Chihuahua. Não sei que classe de monstros se atreve a atacar mulheres e crianças. Como governadora, dou toda a minha colaboração para que não fique impune e que todos os responsáveis paguem.”