Adriano Machado/Reuters

Em meio ao julgamento do STF (Supremo Tribunal Federal) que pode mudar o entendimento sobre prisão após condenação em segunda instância, o presidente Jair Bolsonaro tenta se manter afastado de polêmicas sobre o assunto. A alteração pode beneficiar presos como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Não estou achando nada. Sou chefe do Executivo, não sou mais deputado. Não posso ter atrito com o Legislativo, com o Judiciário. A decisão é deles”, disse Bolsonaro ao ser questionado sobre o assunto por jornalistas, em Pequim, na China.